BLOG DA
Laís Laíny

Pandemia faz PIB paranaense ter retração de -7,52%

14 de outubro de 2020 | 16h41 | Atualizado há 52 dias

PUBLICIDADE
O Produto Interno Bruto do Paraná teve uma variação negativa no segundo trimestre de 2020, em relação ao segundo trimestre de 2019.
Em relação ao trimestre passado, também houve queda. De R$ 128,92 bilhões de janeiro a março deste ano, a soma das riquezas caiu para R$ 109,22 bilhões de abril a junho.

Segundo o estudo divulgado pelo Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social) o período foi marcado pelo auge das medidas de distanciamento necessárias ao controle da pandemia.

A Indústria apresentou declínio de -13,31%, enquanto o valor adicionado de Serviços caiu -7,36% na comparação com o segundo trimestre do ano passado.

Dentre as atividades que compõem o valor adicionado (que corresponde ao PIB subtraído de impostos), a Agropecuária avançou 9,36% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O crescimento da Agropecuária resultou de aumento no volume produzido de soja e de carnes, particularmente a suína.

A queda da Indústria foi setorialmente disseminada, com agudas reduções na quantidade fabricada de veículos automotores e de máquinas e equipamentos.

A contração do setor de Serviços resultou, principalmente, do declínio em atividades de alojamento e alimentação. No segundo trimestre de 2020, o PIB totalizou R$ 109,22 bilhões, sendo R$ 97,25 bilhões referentes ao valor adicionado a preços básicos e R$ 11,96 bilhões aos Impostos.

O nível de atividade apresentou redução em relação ao trimestre imediatamente anterior, com variação de -8,72%.

Essa diminuição resultou da piora nas condições nos três setores da economia. Agropecuária, Indústria e Serviços apresentaram variações de -1,52%, -10,19% e -7,35%, respectivamente.

Acumulado no ano O PIB paranaense decresceu -2,45% nos dois primeiros trimestres de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. Foram determinantes para tanto, a redução de -7,10% no valor adicionado da Indústria e de -3,77% no de Serviços (tabela 2). Contribuiu para o resultado do setor industrial a queda na geração de energia elétrica, provocada por longa e acentuada estiagem.

A variação negativa nos Serviços decorreu, principalmente, de contração nas atividades de alojamento e alimentação. A maior safra de soja registrada no Paraná foi o fator preponderante para a expansão da Agropecuária. A arrecadação de impostos apresentou variação de -4,23%.


ACUMULADO EM QUATRO TRIMESTRES

Houve redução de -1,26% no PIB dos quatro trimestres encerrados em junho. O desempenho positivo da Agropecuária (11,23%), impulsionado pelo cultivo de soja, pela avicultura e pela suinocultura, não compensou as quedas na Indústria e em Serviços.

Os três ramos que compõem o setor industrial (transformação, serviços industriais de utilidade pública e construção civil) registraram queda nesse período. Influiu sobremaneira para a contração da Indústria (-4,48%) a diminuição na quantidade de energia elétrica gerada no Estado.

Os Serviços registraram retração de -3,77%, provocada, principalmente, por quedas nas atividades de alojamento e alimentação e de informação e comunicação. A arrecadação de impostos apresentou variação de -1,21%. O PIB do Paraná, de R$ 459,85 bilhões, equivaleu a 6,39% do PIB brasileiro no período.

Com informações do Ipardes
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM