Laís Laíny

Grávida vai à Justiça que determina cirurgia intrauterina em 12 horas

24/05/2019 20h16

Uma mulher conseguiu na Justiça Federal de Cascavel o direito de fazer uma cirurgia, ainda durante a gestação, que só é feita em três cidades no Brasil.

Um caso complexo de malformação que agora será pago pelo SUS, após um embate judicial. Paola Gnoatto está grávida de 26 semanas e espera uma menina. Ela está em contagem regressiva para realização de um procedimento cirúrgico complexo, ainda no útero, que só será realizado por ordem da Justiça Federal.

A filha de Paola foi diagnosticada com mielo meningocele. Uma malformação na coluna vertebral em que as meninges, medula e raízes nervosas expostas.

A 2ª Vara Federal de Cascavel concedeu a liminar faltando três dias do limite máximo para realização do procedimento. E o prazo é de 12 horas para a realização da cirurgia, que já está correndo.

Poucos lugares no Brasil realizaram o procedimento cirúrgico. Somente em São Paulo, Rio de Janeiro, e Curitiba. E é para a capital paranaense que Paola aguarda para ser transferida. O que precisa ser feito ainda hoje.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informa que está acompanhando o caso desde o dia 17 de maio e confirmou que recebeu a notificação da decisão, na tarde desta sexta-feira (24).

"Ressaltamos que a equipe da Secretaria de Saúde do Estado permanece prestando a devida assistência ao caso e cumprirá todos os procedimentos devidamente justificados e indicados para salvaguardar assistência integral e equânime à mesma no Sistema Único de Saúde".

Veja a íntegra da nota.
Em resposta ao cumprimento da decisão do procedimento comum 5004550-71.2019.4.04.7005 (PGE), informamos que esta SESA (Secretaria Estadual de Saúde), por meio da equipe da 10ª Regional de Saúde assiste ao caso de que trata o procedimento desde o dia 17/05/2019, prestando todo o atendimento concordante com fluxo do Sistema Único de Saúde para os casos de má formação fetal, garantindo assistência regional e hierarquizada para o caso.

As áreas técnicas da Secretaria de Saúde do Estado foram notificadas do procedimento comum na tarde de 24 de maio e imediatamente prestaram as devidas informações à procuradoria do Estado.

Ressaltamos que a equipe da Secretaria de Saúde do Estado permanece prestando a devida assistência ao caso e cumprirá todos os procedimentos devidamente justificados e indicados para salvaguardar assistência integral e equânime à mesma no Sistema Único de Saúde.

Leia outros artigos de Laís Laíny