Foz do Iguaçu

Polícia Federal prende suspeito de terrorismo em Foz do Iguaçu

Acusado teria ligações com o grupo criminoso Hezbollah

21/09/2018 12h36 | Atualizado em 21/09/2018 16h55
Foto: La Nación
A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (21) o foragido internacional Assad Ahmad Barakat, em Foz do Iguaçu. O preso teve a prisão decretada pela justiça paraguaia em 31 de agosto deste ano pelo crime de falsidade ideológica. A prisão de Assad foi autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na última quarta-feira (19).

De acordo com a UIF (Unidade de Informação Financeira) da Argentina, membros do Clã Barakat realizaram a compra de prêmios no valor de 10 milhões de dólares sem declarar os valores, em um cassino na cidade argentina de Iguazu, na região conhecida como Tríplice Fronteira. A manobra teria sido feita para lavar dinheiro da organização. O governo argentino congelou bens e valores do clã, que teria ligação com o Hezbollah.

Em 2002, Assaad Barakat teve sua prisão autorizada pelo STF, que julgou um pedido de extradição efetuado pela justiça paraguaia por envolvimento em delitos relacionados à apologia ao crime, evasão de divisas e falsificação de marcas de produtos.

No ano seguinte, Assaad Barakat foi extraditado para o Paraguai, onde foi condenado a seis anos de prisão pela Comissão de Delitos de Evasão de Impostos do Paraguai. A sentença foi fundamentada em provas periciais oferecidas pelo Ministério Público, que comprovou remessas ilegais de dinheiro para o exterior.

Em 2006, foi incluído na lista do Departamento do Tesouro dos EUA sobre indivíduos e entidades que financiam o Hezbollah na região da Tríplice Fronteira. Em 2008, após sua libertação, Assaad Barakat continuou vivendo no Brasil e mantendo negócios no Paraguai, Argentina e Chile.

Assessoria



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.