Ponta Grossa

Ponta Grossa é a segunda cidade que mais exporta soja no Paraná

Município fica atrás apenas de Maringá

12/11/2019 22h43 | Atualizado em 12/11/2019 22h43
Ponta Grossa é o segundo principal município de origem da soja exportada no Estado do Paraná, através do Porto. O número foi revelado pelo presidente interino da empresa pública Portos do Paraná, Marcus Vinicius Freitas. Entre os meses de janeiro e outubro, Ponta Grossa enviou R$ 3,29 bilhões em soja e seus derivados para outros países. Somente de soja em grãos foram R$ 600 milhões comercializados para o exterior. Com estes montantes, Ponta Grossa fica apenas atrás do município de Maringá, que somente em soja em grãos exportou quase R$ 4 bilhões (3,81 bilhões). "São números importantes que comprovam a importância de Ponta Grossa para a Portos do Paraná", reforça Freitas.

Outro município de destaque do Estado quanto à exportação de soja é Campo Mourão. Somente em soja em grãos foram R$ 408 milhões exportados, além de outros pouco mais de R$ 600 milhões em derivados da soja (resíduos resultantes da extração do óleo), somando pouco mais de R$ 1 bilhão enviada a outros países. Paranaguá foi a origem de R$ 6 bilhões de soja exportada nestes dez meses. Os números são do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Somando todos os produtos comercializados por Ponta Grossa, as exportações superaram a marca de R$ 4 bilhões ao final de outubro, destacando-se como a quinta cidade que mais exportou no Estado. À frente, além de Maringá e Paranaguá, estão Curitiba e São José dos Pinhais, as quais têm veículos como os principais produtos exportados.

Em relação à região dos Campos Gerais, Marcus Vinicius Freitas apontou que mais de 1,5 milhão de toneladas de granéis (soja, milho, farelo de soja) já foram produzidos na região dos Campos Gerais para exportação. Cabe destacar que entre os quinze principais municípios exportadores do Estado do Paraná, três são dos Campos Gerais. Além de Ponta Grossa, destaca-se Ortigueira, sexto município no ranking, com R$ 2 bilhões exportados, e Telêmaco Borba o 13º, com R$ 1,27 bilhão.

Tanto Ortigueira quanto Telêmaco também têm as exportações relacionados ao agronegócio: De Ortigueira, 100% da exportação é de celulose; e de Telêmaco Borba são 63% (R$ 800 milhões) de papel e cartão, ambos provenientes do beneficiamento da madeira, realizada pela indústria Klabin.

O total de cargas que passou pelos Portos do Paraná, nos dois sentidos, exportação e importação, já soma 44,7 milhões de toneladas nesses dez meses. O volume é 0,6% maior que o registrado no mesmo período do ano passado.

Movimentação cresce em 2019

A movimentação de contêineres no Porto de Paranaguá aumentou 15%. De janeiro a outubro deste ano, 726.393 unidades (TEUs) chegaram e saíram pelo terminal paranaense. No mesmo período, em 2018, foram 633.710. No sentido importação, foram 365.786 TEUs movimentados. Outras 360.607 unidades saíram do porto com carga, um crescimento 14% na comparação com as 312.585 unidades exportadas no mesmo período de 2018. O produto exportado em maior volume, em contêineres, é a carne de frango. Nos demais segmentos, o movimento de granéis sólidos chegou a 29,6 milhões de toneladas, volume quase igual ao registrado no ano passado.

Assessoria



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.