Campanha Sinal Vermelho incentiva mulheres a denunciarem seus agressores

Profissionais das farmácias seguem um protocolo para acolher a vítima e comunicar a denúncia à polícia

13 de julho de 2020 | 19h54 | Atualizado há 21 dias

PUBLICIDADE
A ideia é que as mulheres vítimas de violência doméstica tenham uma rede de proteção em meio às dificuldades de conseguir denunciar por conta das medidas de isolamento social provocadas pela pandemia. Uma delas é o reforço da Campanha Sinal Vermelho desenvolvida pelo Conselho Nacional de Justiça.

A denúncia pode ser feita de um jeito bem simples. Com um "X" vermelho na palma da mão, que pode ser feito com um batom vermelho ou caneta, e mostrar para o atendente de uma farmácia conveniada com a campanha.

A empresa pegará todos os dados da vítima e ligará imediatamente para o telefone 190 para denunciar a situação de violência. Para a promotora Andrea Simone Frias, da Vara de Violência contra a Mulher de Cascavel, é mais um canal silencioso e que pode ajudar as mulheres.

A campanha iniciou em junho e também está sendo reforçada pelo Conselho Federal de Farmácia.

Além do aumento de casos de violência doméstica na pandemia, a promotoria de violência contra mulher chama atenção para outro dado importante: o aumento no descumprimento de medidas protetivas, aquela em que o agressor é proibido pela Justiça de se aproximar da vítima.

Além das farmácias, as mulheres vítimas de violência doméstica ou até mesmo psicológica podem denunciar na Delegacia da Mulher, através do Disque 100 e 153 da Guarda Municipal.
EPC
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM