Indígena paranaense é anunciada como secretária no governo de Bolsonaro

Jornalista Sandra Terena, nascida em Curitiba, foi entrevistada no programa TPM da Catve

03 de janeiro de 2019 | 22h47 | Atualizado há 701 dias

PUBLICIDADE
A jornalista Sandra Terena foi anunciada na tarde desta quinta-feira (3) como Secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - SNPIR, no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, no governo de Jair Bolsonaro.

A paranaense filha de pai índio, nascida em Curitiba e descendente da Tribo Terena é a primeira indígena da história a ocupar secretaria no governo Federal.

Sandra é uma das principais vozes brasileiras na construção de políticas públicas direcionadas à defesa de direitos de comunidades tradicionais.

O secretário-adjunto será o advogado Esequiel Roque do Espírito Santo. Ele foi presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB de Rondônia. Um jovem cigano, que tem livros publicados sobre a temática, Igor Shimura, também será diretor da Secretaria.

Sandra é formada em Comunicação Social pela Universidade Positivo e tem pós-graduação em Comunicação Audiovisual pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Escolheu a profissão como meio de defesa da comunidade indígena.

Presidente da ONG Aldeia Brasil há treze anos, utilizou o aprendizado para produzir, com recursos próprios, um documentário em algumas aldeias, como na região do Xingu e no Amazonas, denunciando a omissão do poder público sobre a prática do infanticídio dentro de aldeias indígenas da região.

Pioneira na fundação de Aldeia Urbana ela recebeu o Prêmio Internacional Jovem da Paz em 2009.

Sandra foi entrevistada no programa TPM da CATVE em novembro de 2017.

Conheça no link abaixo um pouco sobre a história da primeira jornalista indígena do Brasil.




Redação Catve.com
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM