Brasil

Onze agências do Itaú foram paralisadas em protesto contra demissões

De acordo com o balanço entre outubro de 2015 a setembro de 2016 o banco fechou 2.753 postos de trabalho

12/11/2016 07h56 | Atualizado em 12/11/2016 07h56
Onze das 21 agências da base do Sindicato de Londrina ficaram paralisadas até as 17h30 desta sexta-feira (11), em protesto contra oito demissões de bancários e bancárias na última quinta-feira (3) no Itaú.

Ficaram paralisadas as agências 1555, 8092, 109, Catedral, Ouro Verde, Vila Casoni, Tiradentes e Shangri-la, em Londrina, e unidades do banco em Cambé, Rolândia e Ibiporã.

"Com o lucro exorbitante que o Itaú tem, não há motivos para tantas demissões no mesmo dia. O protesto é uma forma de lutar por nossos empregos. Só este ano, foram 41 demissões no Itaú, sem contar mais uma pessoa que foi demitida hoje. Os números falam por si só", afirma a presidente do Sindicato em Londrina, Regiane Portieri.

Além das demissões no Itaú, foram 17 no Bradesco, 14 no Santander e 4 no HSBC. De acordo com o balanço do terceiro trimestre, entre outubro de 2015 a setembro de 2016 o banco fechou 2.753 postos de trabalho, no Brasil.