Brasil

Câmara mantém restrição para abono salarial na reforma da Previdência

Benefício só será pago a quem ganha até R$ 1.364,43

07/08/2019 21h49 | Atualizado em 07/08/2019 21h49
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Por 345 votos a 139, o plenário da Câmara dos Deputados derrubou destaque do PSOL e manteve a restrição ao abono salarial aprovada na reforma da Previdência. O benefício agora será pago apenas para quem ganha até R$ 1.364,43 por mês, considerado pelo governo como limite para famílias de baixa renda.

Até agora, o abono era pago a trabalhadores de carteira assinada que recebem até dois salários mínimos e estavam inscritos há pelo menos cinco anos do Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Segundo o governo, a mudança permitirá a concentração do pagamento a quem mais precisa do benefício, gerando economia de R$ 76,4 bilhões nos próximos dez anos.

No momento, os deputados analisam destaque do Novo, que retira as idades mínimas especiais de aposentadoria para professores de 60 anos (homens) e 57 anos (mulheres). O partido quer que a categoria se aposente na mesma idade mínima que os demais profissionais: 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres).



** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe do Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 9 9982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642.