Brasília

Brasília: Roman acusa Janot de agir politicamente ao denunciar Temer

Parlamentar fez duro pronunciamento e respondeu a acusação de receber emendas para entrar na CCJ

12/07/2017 21h34 | Atualizado em 12/07/2017 21h55
O procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e o procurador da República, Marcelo Paranhos Miller foram alvos de um duro pronunciamento do deputado federal Evandro Roman (PSD). Foi hoje (12) durante a sessão de debates sobre a denúncia de corrupção passiva contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Com seu voto já declarado contrário a denúncia, Roman disse claramente que Janot agiu politicamente quando aceitou delações dos irmãos Batista, que ele chama de "irmãos açougueiros".

"Mais que condenar Temer, Janot tem que fazer o combinado da delação premiada, pois a impunidade histórica desta delação neste país, que beneficia os irmãos Batista. Janot precisa de um corpo para materializar e criminalizar o presidente e se corpo for do presidente, melhor ainda. Em um futuro bem próximo teremos a delação de como foi construída a delação dos irmãos Batista. A delação da delação", afirmou Roman.

O parlamentar cascavelense disse estranhar a rapidez da PGR (Procuradoria Geral da República) em encaminhar a denúncia contra e Rocha Loures e reforçou sua convicção de que não houve crime e que muda seu voto se alguém apresentar provas.

"Me causou estranheza a pressa, a velocidade da PGR, pois não há indícios suficientes do cometimento do crime. Onde é que diz na denúncia a relação direta e indireta com esse recurso que Rodrigo Rocha Loures pegou? Se alguém conseguir sustentar a prova material eu mudo meu voto".

Evandro Roman aproveitou para responder acusações de que entrou na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) esta semana em troca de emendas ou benesses. O parlamentar disse que apenas atendeu a um chamado de seu partido.

"O julgamento de vir me acusar que vim para esta comissão porque busquei emendas e recursos indevidos, eu digo que ninguém me procurou. Essa foi uma decisão de partido. Eu vim pois já tinha declarado meu voto".

Ele finaliza afirmando que politicamente a denúncia foi encaminhada à Câmara dos Deputados e politicamente voltará para ser arquivando, crendo que ela seja rejeitada pela Casa.

Confira o vídeo com a íntegra do pronunciamento de Evandro Roman.

Laís Laíny