Laís Laíny

Crianças do 2º e 9º ano de escola particular estão em quarentena

Elas tiveram contato com os filhos da mulher que testou positivo para a Covid-19

23/03/2020 16h14

Um grupo de crianças do 2º e 9º ano da Escola Passo Certo, da rede privada de Cascavel, foi colocado em quarentena a partir desta segunda-feira (23).

Isso porque todos eles tiveram contato com os filhos da mulher de 42 anos que testou positivo para o Novo Coronavírus. O caso da empresário é o primeiro confirmado de Cascavel.

Uma nota emitida pela escola, cuja veracidade foi também confirmada pela Secretaria de Saúde de Cascavel, informa que as turmas tiveram contato com os dois filhos da mulher que esteve nos Emirados Árabes nos dias 17 e 18 de março.

"As crianças, que estavam assintomáticas, frequentaram as aulas até dia 17/03 (aluno do 2° ano) e 18/03 (aluno do 9° ano). Desta forma, solicitamos que os alunos da escola, especialmente os colegas de ano de ensino, que permaneçam em quarentena e observação, evitando o contato com pessoas do grupo de risco", informa o comunicado da escola.

A Vigilância Epidemiológica de Cascavel contatou a escola e reforçou que havia orientado a paciente que todas as pessoas que tiveram contato deveriam ter ficado em isolamento domiciliar. Segundo o boletim divulgado no domingo (22), o primeiro contato da mulher diagnosticada com o setor público foi dia 16 de março.

"A Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, entrou em contato com a escola e constatou a veracidade do documento que está sendo enviado aos pais de alunos. Cabe salientar que o primeiro caso positivo de Covid-19 em Cascavel foi atendido na Atenção Primária do Município e recebeu todas as informações e orientações a respeito de isolamento domiciliar e das pessoas que tiveram contato com o paciente, inclusive com registro no prontuário".

A Secretaria de Saúde informa ainda que buscará na escola informações sobre as crianças que tiveram contato com os filhos do primeiro caso positivo para fazer o monitoramento dessas crianças.

Leia aqui o comunicado

Leia outros artigos de Laís Laíny