Laís Laíny

Estudo mostra que Aeroporto de Cascavel é o pior do Paraná

18/04/2019 20h41

O cenário no setor da aviação comercial em todo o Paraná é de queda e o Aeroporto de Cascavel foi o que mais puxou para baixo as estatísticas de volume de embarques e decolagens.

Um estudo feito pela equipe técnica do deputado estadual Homero Marquese mostra que de 2014 a 2018, o volume de embarques pagos em voos domésticos caiu 62%. Enquanto em 2014 foram 113 embarques, ano passado foram apenas 69.

O número mais baixo entre todos os Aeroportos. O único Aeroporto que teve uma alta foi o de Foz do Iguaçu, que conseguiu elevar os embarques em 21,6%.

Londrina, Curitiba e Maringá também apresentaram queda. Em todo o Paraná, o volume de embarques caiu 8,7%.

Quanto ao número de decolagens registradas nos aeroportos, o de Cascavel também é o último colocado no Paraná. Em 2014, aviões levantaram voo 2.182 vezes, enquanto ano passado foram apenas 1.267. 72,2% a menos.

Novamente, a redução foi a maior entre todos os aeroportos de Paraná.

De fato, os preços das passagens também ficaram bem mais salgados, em quatro anos.

Viajar de Cascavel para Curitiba custava R$ 253,57 em 2014. Quatro anos depois, a mesma passagem custava quase 55% a mais, R$ 391,66.
O maior aumento foi nas passagens para São Paulo. Para Congonhas, o valor mais que dobrou, passando de R$ 354,10 para R$ 764,96. E para Guarulhos, o aumento foi de 99,9%.

Para o parlamentar, o Paraná está na contramão dos outros Estados quanto ao fomento da comercialização de querosene de aviação, por exemplo. Nos últimos anos, as alíquotas do ICMS no Paraná só vêm crescendo, passando de 7% para 18% desde 2015, enquanto outros estados, como São Paulo e Espírito Santo, anunciam cortes no ICMS do combustível.

Isso reduziu o consumo de querosene de 159.987 m³ em 2014 para 136.555 m³ ano passado. -17,2%. Em Cascavel, o consumo foi ainda mais reduzido. Em 2018, foi 85,1% a menos que em 2014. Passando de 2,7 m³ para apenas 1.500 m³.

Veja na íntegra o estudo feito pelo deputado Homero Marquese

Leia outros artigos de Laís Laíny