BLOG DO
Jorge Guirado

Lockdown: "Seria muito cômodo fechar tudo, mas as pessoas não resistem"

15 de Junho de 2020 | 23h13 | Atualizado há 20 dias

PUBLICIDADE
O procurador jurídico do Município, Luciano Braga Côrtes, participou ao vivo do Programa EPC nesta segunda-feira (15), para dar sua versão a respeito do pedido do Ministério Público para implantação do lockdown em Cascavel. Hoje, cinco promotores ingressaram na Justiça para tornar obrigatório o fechamento total da cidade para controlar a circulação do novo coronavírus.

Côrtes fala em incorreções na petição apresentada pela Promotoria quanto ao número de leitos e o segmento da matriz definida pelo Ministério da Saúde para medidas de contenção. "Há uma incorreção na análise do Ministério Público no que diz respeitos aos leitos. Eles consideram apenas os leitos de Covid-19 e temos que considerar todos. A situação piorou um pouco, como era previsto, mas o decreto de domingo veio regulamentar medidas", afirmou.

O procurador defendeu a postura do Município em tentar equilibrar a economia e a proteção da saúde na pandemia. "Seria muito cômodo fechar tudo, mas as pessoas não resistem a isso. Isso traz problemas no futuro, que não estão sendo considerados pelo MP".

Braga Côrtes afirma ainda que todas as determinações do COE - Centro de Operações de Emergências estão sendo respeitadas e que nenhuma norma legal está sendo desrespeitada pelo Município.

Veja a entrevista na íntegra.
** Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe Portal CATVE.com pelo WhatsApp (45) 99982-0352 ou entre em contato pelo (45) 3301-2642

VEJA TAMBÉM