Jorge Guirado

O Novo Centro de Convenções e Eventos para Cascavel

18/10/2018 12h55

Sobre a aquisição do prédio que abrigava o Atacado Liderança para fazer ali o nosso novo Centro de Convenções e Eventos em Cascavel:

Recebi do amigo LÉO RIGON, empresário da cidade, ex-Secretário em três administrações , entre elas a Secretaria de Indústria e Comércio e CODEVEL - Companhia de Desenvolvimento de Cascavel, logo por entender que ele sabe o que diz, repasso na íntegra nesta coluna a mensagem dele.

"Bom dia amigo.
Jorge que absurdo fazer uma audiência pública para comprar um mega empreendimento e nossos administradores irem participar com argumentos não convincentes a população.

No ano de 2000 quando nós assumimos o Centro de Convenções formamos uma diretoria somente para eventos, e durante 4 anos tivemos uma agenda lotada, levamos o nome de Cascavel para todo o Brasil, com eventos de renome, foram criados por nós.

Salão do Automóvel Novos
Feirauto.
Oeste Fest
Feira da Mulher.
Fecom.
Feira Internacional do Canário.
Feira Paranaense do Pequeno Produtor Rural.
Feira da Construção e Acabamento.
On The Road, maior encontro de motocicletas do Brasil.

E outros tantos, mantivemos a agenda do Centro de Convenções totalmente lotada durante 4 anos.

De 2004 para cá simplesmente jogaram a agenda fora e mais nada foi feito, aquele espaço simplesmente foi abandonado e virou um local para comércio de automóveis usados, incentivando inclusive a informalidade, venda de carros na rua em frente ao Centro de Convenções com as placas de VENDE-SE, Tornou-se uma dor de cabeça para os empresários do ramo de automóveis, porque seis eventos por ano dois por mês, isto está acabando com o comerciante que paga seus impostos.
Outro evento que está dando dor de cabeça para o lojista de Cascavel é a Fecom, que está fazendo não sei quantas feiras por ano, trazendo a maioria dos expositores de fora de Cascavel, prejudicando totalmente o comércio local.

Jorge partindo deste princípio nós temos que encerrar as atividades do Centro de Convenções e realmente virar um depósito central da prefeitura e economizar um bom dinheiro por mês.

Agora como que uma cidade com 350 mil habitantes, localizada na região mais rica do estado, nas margens da BR 277, corredor do turismo, as pessoas podem pensar tão pequeno a ponto de impedirem que um mercado tão promissor se acabe assim? Sem dar uma evolução natural de um segmento importante que é o turismo de eventos?

A compra do Atacado Liderança seria uma demonstração de que nossos governantes estão preocupados com a nossa cidade e nossos munícipes.

Pena que ninguém mais preparado para convencer aos nossos vereadores e a população da importância de um novo Centro de Convenções.

Pena o que está acontecendo.
abraços
Léo Rigon"

Leia outros artigos de Jorge Guirado