Everton Paulo Roman

Chapecoense 2: O sonhado acesso à elite do futebol brasileiro...

02/10/2019 18h08

A temporada de 2013 foi marcante. Após uma ascensão "meteórica" para o Campeonato Brasileiro da Série B, um clube com apenas 40 anos de história, de uma cidade pequena, com receitas modestas quando comparadas a outros grandes centros, chegava para uma temporada "com pés no chão". O principal objetivo, segundo a própria diretoria da Chape era a manutenção na "segundona" para poder aumentar as receitas de arrecadação e a própria marca da agremiação.

A Chape faria um campeonato "regularíssimo" o que se tornou uma marca do clube. Com gestores competentes, puderam fazer ótima campanha no ano de 2013 para levar o nome do time de Chapecó para todo o Brasil. O clube surpreendeu a todos, incluindo a própria diretoria e vários especialistas em futebol, pois nem mesmo o torcedor mais esperançoso esperava uma campanha tão positiva...

Em sua primeira participação na Série B não veio o título, mas o time conseguiu feitos admiráveis como, por exemplo, não fazer nenhuma troca de treinador durante a competição, fato que não é muito comum no futebol do país. O então técnico Gilmar Dal Pozzo, dizia que aquele acesso foi conquistado com planejamento, inteligência, bom futebol e merecimento. Com isso, a Chapecoense no seu comando foi vice-campeã nacional sendo o time que menos perdeu (ficou a frente até do campeão Palmeiras que perdeu 7 partidas; a Chape 6) e também teve o artilheiro do campeonato Bruno Rangel que fez nada menos de 31gols dos 60 que a equipe fez na competição. Bruno Rangel é o maior artilheiro da história da Chapecoense com 81 gols marcados.

A fantástica campanha da Chape consistiu em: 20 vitórias, 12 empates e 6 derrotas. Uma verdadeira façanha!

A confirmação matemática do acesso veio com duas rodadas de antecedência no jogo contra o Bragantino, com um público de aproximadamente 9.500 torcedores a Chape fez o que precisava e confirmou o acesso que todos esperavam empatando com o time paulista em 1x1, resultado que era suficiente, com gol do sempre artilheiro Bruno Rangel.

Após o apito final muita festa na Arena Condá, enfim a torcida "verde" pode soltar o grito de "uh é série A".

Leia outros artigos de Everton Paulo Roman