Everton Paulo Roman

Libertadores 2019: Flamengo jogando todas as suas fichas!

08/05/2019 16h20

O Flamengo tem uma difícil missão nesta quarta-feira (08.05.2019) em Montevidéu. O rubro-negro estará enfrentando o Peñarol às 21.30 horas, em um jogo válido pela última rodada da primeira fase do maior torneio do nosso continente.

Especificamente nessa partida, dois resultados classificam o mengão: logicamente a vitória e também um empate. E é aí que está o problema e mora o perigo! Em casa, os uruguaios terão que vir pra cima se quiserem sonhar em avançar para as oitavas de finais, já no sistema "mata-mata".

Na outra partida do grupo, a LDU (Equador) jogará em seu estádio contra o San José (Bolívia), e na teoria, conseguirá os 3 pontos (o San José não somou nenhum ponto até agora na competição).

A palavra que resume essa partida será pressão. Pressão dos donos da casa que certamente transformarão o seu estádio denominado Campeón del Siglo em um grande caldeirão. O estádio tem capacidade para 40 mil pessoas, porém 37 mil ingressos foram colocados à venda por medida de segurança.

Cabe destacar que a maior pressão para a partida, a meu ver, vem do lado rubro-negro. Com um dos melhores e mais caros elencos do Brasil, não passa pela cabeça do torcedor do Flamengo uma eliminação precoce na fase de grupos da Liberdadores. Seria um desastre.

Logo após a derrota para o Internacional, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro no dia 01.05.2019 pelo placar de 2 a 1, muito se especulou sobre a saída do técnico Abel Braga do clube. Essa especulação chegou até o ponto de programas esportivos fazerem enquetes se Abel deveria sair ou não do comando da equipe.

A grande pergunta é: Como a equipe vai se comportar perante tanta pressão e cobranças?

Será um jogo duro, complicado e que cheira confusão, até porque na partida de ida da Copa Libertadores realizada no dia 27 de março aconteceram brigas e prisões com membros das duas torcidas no entorno do Maracanã. Pancadaria pura.

Agora é esperar. Teremos um baita jogo. Esperamos que tudo seja resolvido em campo e na bola. É o que esperamos, talvez não seja isso o que aconteça...

Leia outros artigos de Everton Paulo Roman